sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Análise de dados: qual é o gráfico mais adequado?

Com essa frase, Avinash Kaushik, cria uma metáfora para explicar a quantidade de informação e dados que temos em mãos. Com as ferramentas das quais dispomos hoje em dia, a questão maior não é mais disponibilidade de informação ou falta dessa. A situação em que vivemos hoje é um excesso de informação, proporcionado pela internet, e, com esse excesso de informação, vieram diversos outros problemas, como a assimilação de dados.
Por assimilação de dados, refiro-me a quão rápido se consegue visualizar tendências e modas nos dados apresentados e tirar deles informações úteis. Em um ambiente de trabalho dinâmico, são raras as oportunidades de se debruçar sobre uma base de dados e ter tempo para analisa-la da forma ideal, ainda mais ao se considerar posições de liderança. Dessa forma se dá a necessidade de apresentar dados de uma forma eficaz e rápida, direto ao ponto. Gráficos são uma das melhores formas de se mostrar esses dados de forma rápida e eficiente por ser um meio visual.Um gráfico bem feito é aquele que mostra as estatísticas relevantes de uma forma impactante e didática.
Foi com esse intuito que o IBPAD traduziu uma apresentação de Randal S. Olson, que sintetiza as melhores formas de apresentar graficamente resultados quantitativos e onde cada caso é mais apropriado.



Fonte: http://blog.ibpad.com.br/index.php/2016/08/03/qual-e-o-grafico-mais-adequado/


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ray Bradbury

"Se não tivermos bibliotecas, não temos nenhum passado e não teremos um futuro"