quarta-feira, 27 de março de 2013

Procuram-se iniciativas socioambientais inovadoras

Prêmio Empreendedor Social busca empreendedores que desenvolvam iniciativas inovadoras, sustentáveis e que beneficiem pessoas em situação de risco social ou ambiental.
A baiana Cybele Amado se dedica ao Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, instituição que fundou em 2000 com uma rede de escolas e profissionais preocupada em melhorar a educação pública da região da Chapada Diamantina. Já Fernando Botelho desenvolveu o F123, software que auxilia pessoas com deficiência visual, assim como ele. Mas o que há de comum entre os dois? Cybele e Botelho foram os grandes vencedores da última edição de dois dos principais concursos de empreendedorismo social do país, ambos com inscrições abertas até 8 de abril.
 
O primeiro, Prêmio Empreendedor Social, que está na sua 9o edição, busca empreendedores que desenvolvam iniciativas inovadoras, sustentáveis e que beneficiem pessoas em situação de risco social e/ou ambiental, há no mínimo três anos. O prêmio é realizado pela Folha de S.Paulo em parceria com a Fundação Schwab - correalizadora do Fórum Econômico Mundial de Davos.
 
Já o segundo, Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro, também organizado pelo jornal, abre inscrições para jovens entre 18 e 35 anos, que estejam à frente de cooperativas, negócios sociais ou organizações da sociedade civil, há no mínimo um e no máximo três anos.
 
Em ambos, os vencedores e finalistas recebem bolsas de estudos de cursos de gestão para negócios socioambientais, tutorias em aceleração de comunicação, consultoria jurídica, presencial ou a distância, além da visibilidade de seus projetos. O prêmio surge como uma forma de "dar um empurrão" para jovens empreendedores que estão na fase considerada mais crítica de qualquer organização: o período de um a três anos de existência. É o que apontam, por exemplo, dados Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que mostram que a taxa de mortalidade de empresas nos primeiros dois anos de atividade é de 26,9% no país.
 
Menção honrosa da ONU
Um dos diferenciais deste ano será a possibilidade de os candidatos que desenvolvam iniciativas voltadas aos objetivos globais de 2013 - eleito o Ano Internacional de Cooperação pela Água - se candidatarem também a uma menção honrosa da ONU (Organização das Nações Unidas). O vencedor receberá capacitação, planejamento, treinamento e apoio na busca de recursos para potencializar seu projeto, incluindo uma visita à sede da ONU, em Nova York (EUA), na qual terá acesso a informações para apoio técnico.
 
Informações e inscrições no site http://www1.folha.uol.com.br/empreendedorsocial/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ray Bradbury

"Se não tivermos bibliotecas, não temos nenhum passado e não teremos um futuro"