quarta-feira, 8 de março de 2017

Para onde vai a madeira que é extraída da Amazônia? Novo sistema busca responder a esta pergunta

O Governo Federal lançou, em cerimônia pública nesta terça-feira (7), em Brasília (DF), o Sinaflor – Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais.
Desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama), o Sinaflor é uma ferramenta que vai rastrear toda a cadeia produtiva da madeira, do carvão e de outros produtos florestais - e, com isso, ajudar a reduzir os índices de ilegalidade deste setor e contribuir com a redução do desmatamento das florestas brasileiras.

As bases para a implantação do Sinaflor surgiram com a Lei 12.651 de 2012, o novo Código Florestal. Ali, ficou estabelecido que um sistema nacional para a gestão florestal em todo o País deveria ser concebido e implantado.

Na prática, os responsáveis técnicos pelos planos de exploração florestal vão cadastrar suas informações no Sinaflor – neste espaço, os dados técnicos e legais dos empreendimentos ficarão disponíveis para o Ibama, para os órgãos estaduais de Meio Ambiente, órgãos de segurança pública, fazendária e do judiciário. Sem oferecer as informações, os empreendedores não terão acesso às autorizações de exploração, transporte e comercialização.

Vantagens
Outros instrumentos de controle já existentes, como o Documento de Origem Florestal (DOF) e o Cadastro Ambiental Rural (CAR), serão incorporados ao Sinaflor - gerando um banco de dados único que permitirá a visualização, mais precisa, da exploração florestal feita no Brasil.

Com isso, ganha-se mais agilidade no controle da origem dos produtos florestais, já que os processos de autorização passam a ser eletrônicos; a possibilidade de rastreamento do produto florestal, da origem ao destino; e maior segurança na disponibilização de créditos para produtos florestais, já que o processo também será feito de forma eletrônica, sem interferência humana e, portanto, menos sujeito a “subjetividades”.

Mais vantagens deste sistema incluem a geração de informações sobre a dinâmica de uso e ocupação do solo no interior de imóveis rurais; e a geração de informações sobre áreas de desmatamento por todo o País.

Fonte: http://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?uNewsID=56402

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ray Bradbury

"Se não tivermos bibliotecas, não temos nenhum passado e não teremos um futuro"